Descubra os 3 tipos de riscos de investimentos e entenda qual é o melhor perfil para você considerando as possibilidades existentes.

São vários os tipos de riscos de investimentos que um investidor, seja iniciante ou experiente, pode experimentar. Cada tipo oferece uma vantagem e um risco, o que elimina a melhor opção apenas pela escolha realizada.

Ou seja, quem gosta de arriscar — e tem dinheiro para isso — vai apostar no alto risco. Mas isso não significa que esse tipo de investidor é melhor, pois o seu comportamento está alinhado com a sua capacidade financeira — e os riscos inerentes ao processo.

Sendo assim, é essencial saber que existem vários tipos de riscos de investimentos. Ao conhecê-los, você terá mais capacidade de decidir para colher os frutos de cada modalidade. Quer saber mais? Continue lendo até o final!

Quais são os tipos de riscos de investimentos?

Antes de qualquer coisa, é preciso saber que qualquer investimento financeiro possui algum grau de risco. Mesmo a poupança, tão querida pelos brasileiros, traz algum risco — ainda que mínimo — para os investidores.

E é justamente na quantidade de risco que um investimento pode ser classificado. Os mais seguros não oferecem lucro tão abundante, muito menos rápido. Enquanto isso, os de alto risco, como o próprio nome diz, são aqueles que oferecem possibilidade de um alto retorno financeiro.

Dito isso, vamos nos aprofundar mais em cada um e dar exemplos dos tipos de riscos de investimentos em mais detalhes.

Investimentos de baixo risco

São os tipos de investimentos mais seguros e que oferecem quase nenhuma possibilidade de perda de dinheiro. Em contrapartida, também são aqueles que oferecem a menor possibilidade de retorno financeiro. 

Entre os investimentos dessa categoria, podemos citar:

  • Poupança: o mais básico e o mais seguro de todos. De certa forma, você estará emprestando dinheiro ao banco enquanto ele devolve uma pequena porcentagem de lucro;
  • Fundos de renda fixa: são famosos por serem de baixo custo. Como é um investimento de renda fixa, acompanha as variações da taxa Selic;
  • Tesouro direto Selic: ideal para quem busca um investimento bastante seguro, de curto prazo e custo menor ainda. Não quer ficar preso a taxas de resgate? Opte por esse aqui.

Como podemos ver, os investimentos de baixo risco são interessantes para o perfil de investidor mais conservador ou que não tem uma grande capacidade de arriscar seu patrimônio.

Investimentos de médio risco

Dentro dos tipos de riscos de investimentos, esses são os mais equilibrados, pois apresentam riscos e rendimentos na mesma proporção. Os investimentos de médio risco são ótimos para quem quer começar a “apostar”

Ou seja, investidores que buscam maior rentabilidade e desejam ter menos segurança, vão atrás das seguintes opções:

  • Debêntures: são os títulos que as empresas emitem por diferentes razões, seja ganhar capital de giro, quitar dívidas ou custear projetos. Antes de se aventurar, é sempre bom analisar a solidez e confiabilidade da empresa;
  • Fundos multimercados: Diferente de outros fundos, que são relacionados a determinado setor, os fundos multimercados não têm esse tipo de amarra. Com eles é possível investir em várias áreas;
  • Fundos de investimentos em ações: sim, a Bolsa de Valores. É um fundo formado pela carteira de ativos diversos e a partir dele, você irá adquirir cotas de muitas empresas disponíveis no mercado de ações.

É importante ressaltar que o investimento na bolsa de valores não é, por si, um investimento de alto risco — mesmo que alguns investidores já tenham perdido muito dinheiro na modalidade.

Investimento de alto risco

Aqui a coisa fica séria. Existem muitas pessoas dispostas a correr riscos, pois o que interessa, nessa categoria, é a capacidade do ativo de gerar retorno financeiro. E aqueles que se aventuram com os investimentos de alto risco devem estar preparados para a possibilidade de perder — muito — dinheiro. 

Conheça a seguir alguns exemplos do tipo de risco de investimento mais alto:

  • Day trade: são as ações em que se aproveita as variações de valor em um prazo curtíssimo. Na maioria das vezes, em um único dia. Com elas você pode aproveitar, por exemplo, uma alta valorização que seria amortecida num prazo maior;
  • Ofertas públicas: elas surgem quando empresas precisam levantar capital e disponibilizar ativos. Então, de certa forma, podem ser consideradas ações. Seus riscos estão relacionados aos resultados do projeto e às flutuações do mercado;
  • Investidor anjo: É um novo segmento gerado pelo boom das startups. Ele costuma investir naquelas que apresentam grande potencial, mas que não possuem recursos, na esperança de obterem grandes rendimentos com um crescimento futuro.

Assim, os investimentos de alto risco não são recomendados para a maioria dos investidores — principalmente os iniciantes. A não ser que você tenha muito dinheiro, os investimentos desse tipo têm alta probabilidade de fazer seu capital escorrer pelo ralo.

Portanto, pense bem antes de apostar nessa categoria.

Tipos de riscos de investimentos: o importante é diversificar

Agora que você entendeu quais são os tipos de riscos de investimentos, é hora de planejar seus recursos para diversificar seu capital. Com isso, você pode ganhar em algumas modalidades e, infelizmente, perder o mínimo possível em outras.

Mas, nesse caso, o importante é não colocar em risco todo o patrimônio investido.

Então, entenda qual é sua capacidade de tolerar perdas e diversifique suas opções. Aposte em ações, debêntures, renda fixa e também no peer-to-peer com garantia da MatchMoney. Assim, seu futuro será próspero e com muito dinheiro no bolso.

Author

Head of Digital Marketing & Content na MatchMoney e investidor em evolução.

Comentários