Entenda o que são fundos de investimento imobiliário e como você pode diversificar sua carteira de investimentos de forma acessível e muito rentável.

Certamente se você nunca pensou em comprar um imóvel ou terreno como forma de investimento, conhece alguém que já considerou essa alternativa. 

Mas, a boa notícia é que existem formas de fazer esse tipo de investimento com menos recursos, menos gastos e de uma forma muito mais inteligente por meio dos fundos imobiliários. Não sabe o que são fundos de investimento imobiliário? Nós explicamos! 

Fundos imobiliários são um produto do mercado acionário. Ou seja, uma aplicação de renda variável para quem deseja investir em imóveis sem comprar empreendimentos ou apenas para diversificar o portfólio. 

Se você nunca se imaginou dono de um grande empreendimento ou passou anos acreditando que jamais poderia ter um pedaço de terra para chamar de seu, acredite, no mercado de investimentos isso é possível.

O que são fundos de investimento imobiliário?

Os fundos imobiliários ou FIIs são uma forma mais simples de ter acesso a imóveis. Afinal, é um investimento em imóvel, mas sem a necessidade de comprar uma nova casa ou um terreno para construção. 

Esse investimento acontece a partir da junção de um grupo de pessoas que desejam aplicar em ativos imobiliários, e se juntam para realizar o investimento e dividir os rendimentos.

Na prática, ao aplicar em fundos de investimento imobiliário, o investidor se torna dono de uma parcela daquele imóvel. 

Sabe quando empresários abrem negócios sob o modelo de sociedade? Pois bem, os fundos imobiliários funcionam de uma forma semelhante.

É como se o investidor se tornasse sócio de um conjunto de tipos de imóveis diferentes por meio da compra de um fundo.

Atualmente, são mais de 350 fundos de investimentos imobiliários listados na Bolsa de Valores aos quais o investidor pode escolher para aplicar seus recursos. 

Leia também: O que é portfólio de investimentos e dicas essenciais para montar a sua carteira

Como funciona o investimento em fundo imobiliário?

Entendido o que são fundos de investimento imobiliário, vamos agora às formas que você pode recorrer para fazer esse investimento.

Na grande maioria dos casos, os ativos adquiridos por investidores são empreendimentos imobiliários, ou seja, os próprios prédios, edifícios comerciais, construções, etc.

Assim, o objetivo desse tipo de fundo imobiliário, também chamado de fundo de tijolo, é conseguir encontrar pessoas ou empresas interessadas em utilizar esses imóveis. 

Quando isso acontece os investidores recebem um lucro mensal de aluguel, que é dividido entre todos os cotistas. 

Mas essa não é a única forma de fazer esse tipo de aplicação.

Também é possível investir em um FII por meio da compra de títulos imobiliários, o que é chamado de fundo de papéis. 

Nesse caso, o investidor irá aplicar em produtos que estão ligados a imóveis, mas não são os empreendimentos em si. Para isso, a pessoa pode aplicar em:

  • Certificado de Recebíveis (CRI)
  • Letras de Crédito Imobiliários (LCI)
  • Letras Hipotecárias (LHs)

Nesse caso, o lucro do fundo vem dos juros e dividendos pagos por esses títulos, ou por meio da venda deles.

Leia também: Investidor com perfil arrojado: 5 principais características + produtos para investir

Vantagens x desvantagens da modalidade

Agora que você sabe o que são fundos de investimento imobiliário e como eles funcionam, é hora de analisar as vantagens e desvantagens desse produto de investimento. 

Prós

Valor mínimo de investimento acessível

Na aplicação em fundos imobiliários, não é necessário ter grandes valores de dinheiro para começar a aplicar. 

Diferente do que acontece na compra efetiva de um imóvel ou terreno, que muitas vezes ultrapassa os cem mil reais, para investir em fundos o indicado é que o investidor tenha, no mínimo, R$ 100 reais. 

Retorno mensal garantido

Imagine que você tenha investido em uma casa para colocar em aluguel e receber uma renda mensal. Interessante, certo?

Mas você sabia que, ao investir em fundos imobiliários, além de não ser necessário comprar efetivamente o imóvel, você também recebe retornos mensais, como aluguel? 

Isso acontece porque o fundo imobiliário possui rendimento mensal, e ao comprar uma cota, você recebe uma parcela desse rendimento. 

E tem mais: em alguns casos, não há cobrança de Imposto de Renda sobre o rendimento mensal de um fundo imobiliário. 

Variedade de imóveis para investir

Se para comprar um único terreno é necessário um montante de dinheiro, no fundo imobiliário você pode utilizar o mesmo valor para fazer aplicações em uma variedade de imóveis.

Existem fundos imobiliários nos mais diversos segmentos, como:

  • shoppings,
  • hospitais,
  • hotéis,
  • lajes corporativas,
  • universidades,
  • entre outros.

Além disso, como falamos, também é possível fazer as aplicações em FIIs por meio de fundos de papéis, uma alternativa que abre ainda mais o leque de opções para investimento.

Possibilidade de se desfazer do fundo 

Quem já passou pela experiência de colocar um imóvel à venda e demorar anos para conseguir finalmente se desvincular dele, ao entender o que são fundos de investimento imobiliário, se interessa muito por essa vantagem.

Isso porque, ao desejar se desfazer de um fundo, não há grandes burocracias. Você pode vender por meio da Bolsa de Valores todo o fundo ou apenas uma parte da sua cota, se assim desejar. 

Veja também: Dicas de investimento para iniciantes para começar a aplicar agora mesmo

Contras 

Cobrança de taxas administrativas 

Ao investir em um fundo, seja um fundo imobiliário, multimercado, de ações, etc, existem taxas que são cobradas pela administração da sua cota

Essa taxa é cobrada sobre o valor que você tem investido, e é possível encontrar opções entre 1% a 3%. 

Cobrança de Imposto de Renda 

Como falamos acima, em alguns casos não há cobrança de IR em aplicações de fundos imobiliários, mas para isso existem alguns pontos que devem ser obedecidos.

Atualmente, os tributos são insetos apenas para pessoas físicas que tenham no mínimo 50 cotistas e cotas negociadas na bolsa

Além disso, para que não haja cobrança, o beneficiado não pode ser dono de mais do que 10% das cotas do fundo em questão.

Caso você não se enquadre nesses aspectos, haverá a cobrança do IR sobre os rendimentos do fundo imobiliário. 

Veja também: Como atingir a independência financeira: 5 passos básicos e funcionais

Qual o valor mínimo para investir em fundos imobiliários?

Depois de descobrir o que são fundos de investimento imobiliário, você ficou interessado nesse tipo de investimento?

Então, temos uma boa notícia: os FIIs são um dos tipos de aplicações mais acessíveis do mercado! 

Não há um valor mínimo para aplicar, pois é possível encontrar cotas na Bolsa de Valores com valores de aportes muito diversos. Mas o mínimo recomendado para iniciar no mercado é R$ 100.

Também é importante lembrar que não basta basear os seus custos apenas no valor do investimento, pois também existem cobranças para a compra, venda e, especialmente, para manter as cotas — as taxas administrativas, que falamos acima. 

Para quem deseja investir no setor imobiliário, mas não quer ter custos de taxas e tarifas, a MatchMoney pode ser uma alternativa interessante. 

Com o aporte mínimo de R$ 1.000, você já pode investir em imóveis em nossa plataforma sem pagar nada a mais. Além disso, você ainda pode conseguir retornos acima de 444% do CDI com garantia de imóveis ou recebíveis imobiliários.

Quer saber mais? Então faça uma simulação gratuita em nosso site ou crie sua conta para começar a investir.

Author

Head of Digital Marketing & Content na MatchMoney e investidor em evolução.

Comentários